Guilhermo Arriaga – Um Doce Aroma de Morte

Ana,

Já há algum tempo eu vinha querendo ler um dos livros desse escritor — que além do Um Doce Aroma… ainda tem O Búfalo da Noite e um livro de contos chamado Retorno 201. Arriaga é o roteirista de The Burning Plain, Babel, The Three Burials of Melquiades Estrada, 21 Gramas.

O livro conta como Ramón, morador de Loma Grande, um povoado mexicano pequeno e distante, se envolve com Adela, moça que ele encontra morta num campo de sorgo (em alguns interiores conhecido como zaburro :D). O envolvimento se dá da seguinte forma: Ramón, dono de uma “venda”, tinha visto a moça algumas vezes e se interessado por ela. Como ela era de uma das novas famílias que chegaram no povoado, eles moravam mais distantes e não tinham muita convivência com os habitantes “originais”. Assim, Ramón e Adela nunca chegaram a realmente ter algum tipo de relacionamento. Mas um dia de manhã, a moça aparece morta no campo, completamente nua, e espalha-se o boato de que ela e Ramón eram namorados e iam, inclusive, se casar. O boato se espalha de uma maneira tão rápida e tão convincente que mesmo a família dos dois acredita nele e o rapaz não consegue nunca desmenti-lo. Assim, Ramón é empurrado num torvelinho de situações que o levam inclusive a prometer se vingar do assassino de Adela.

Com as investigações sobre a morte, descobre-se que Adela tinha realmente um amante, que nem mesmo a sua melhor amiga sabe quem era – e que ela duvida que tenha sido Ramón. O amante de Adela era aparentemente casado, então Ramón surge como o álibi perfeito para a memória da morta, que de mocinha danada e atrevida passa a querida e quietinha 😀

Com o crescimento dos boatos acerca do relacionamento dos dois, da morte de Adela e de quem teria sido o assassino e porque o crime havia acontecido, muitas pessoas vão se vendo envolvidas, mesmo sem querer, na vida do casal e ficamos sabendo também do cotidiano de vários dos moradores do povoado — aquela vida de interior, de quem é amante de quem, quem matou ou quer matar quem e por aí vai. Os pais de Adela, inclusive,  já tinham perdido os cinco filhos, todos de morte violenta e todos muito jovens.

Como todos os roteiros de Arriaga — pelo menos os que eu já tive contato —, o livro é MUITO bom. A narrativa é bem construída e envolvente e quando o romance acaba você ainda fica pensando nos personagens por muito tempo. Deu mais vontade ainda de ler mais coisas do autor (acho que vou de O Búfalo da Noite) 🙂 🙂

Ah, eu só soube que ele já havia sido adaptado pro cinema depois que você falou! Tou aqui pensando se procuro pra baixar (ou se assisto O Búfalo…, que também foi adaptado).

Anúncios

5 respostas em “Guilhermo Arriaga – Um Doce Aroma de Morte

    • Foi o marido da gabriela. No livro fala q ele é o único casado e no dia do assassinato ele n estava na cidade, minha interpretação é que Adela era amante dele e no dia do assassinato eles tinham ido se encontrar e Adela contou q gostava do Ramón, com ciúme ele mata ela

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s